Por marketingchef

5 de fevereiro de 2019

Compartilhe:

Qual a linguagem do meu público?

Cada ramo de negócio, norteado pelo seu público-alvo, tem uma linguagem específica. No segmento gastronômico não é diferente. Você não fala para os adolescentes da mesma forma que fala para proprietários de grandes empresas.

Para facilitar esse processo no segmento dos restaurantes, é preciso um estudo minucioso sobre o seu público. Assim, é importante estabelecer 3 personas como os “clientes ideais” do seu negócio. 

Alinhando gostos dos principais clientes como: suas expectativas, dores, objetivos, gostos, trabalhos e localização é possível traçar um perfil que irá direcionar sua comunicação.

A persona irá te ajudar em diversos aspectos como, por exemplo:

  • Determinar o conteúdo necessário para atingir os objetivos.
  • Definir o tom de voz do seu conteúdo.
  • Ajudar a desenhar suas estratégias de marketing.
  • Entender como você deve se comunicar com eles.
  • Entender onde os usuários buscam suas informações e como eles a consomem. 

Como criar um persona?

No momento da criação de um persona é preciso seguir alguns pontos para que, cada vez mais ele tenha mais vida e assim humanize e personifique a sua marca.

Por isso, se atente no momento de definir a idade, cargo profissional, hábitos, dores, objetivos, sonhos, quem são as pessoas que o influencia, quais tecnologias usa e até critérios de decisão na hora da compra. 

Para atingir, de forma eficaz, cada público, a empresa precisa conhecer o consumidor final. O primeiro passo pode ser, por exemplo, uma pesquisa in loco desse nicho: quais os gostos, as necessidades, os anseios dessas pessoas. Depois, é preciso saber como falar com eles: é aqui que o bicho pega.

Se o público-alvo do seu restaurante são jovens, selecione seu conteúdo e linguagem. Ela precisa ser mais descontraída, mas também pessoal. Se o público, por outro lado, for business, você vai poder abusar de terminologias mais formais. Se seu público for constituído por família, invista na emoção.

Quanto mais você se aproximar do público, maiores serão as chances de você obter bons resultados.

E quando falo em linguagem, não me limito, aqui, em falar do texto, mas também da imagem, das cores, ou seja, da comunicação como um todo. Porque, vamos combinar: de nada adianta seu texto ser da hora, mas a sua imagem destoar completamente dele.

Reitero o que disse anteriormente: só é possível saber a linguagem do consumidor final se, no começo, você se dedicar incansavelmente para entender o perfil do seu restaurante. No fim das contas, tudo se resume a planejar, executar, rever. Incansável e infinitamente. Porque você pode até saber o que quer falar, mas se você não souber como falar, você não terá bons resultados.

Reúna-se com sua equipe, contate uma agência, trace o perfil dos consumidores, vá até eles, pergunte, questione, saiba, fale com eles: só assim – e trabalhando constantemente nisso – por fim, você conhecerá o seu consumidor de forma efetiva.